A origem das cafeterias

A origem das cafeterias

As informações existentes sobre cafeteria indicam que a primeira cafeteria de que se tem noticia surgiu em Constantinopla (Istambul) em 1475, dois anos após ser introduzido na Turquia pelos Otomanos. O café logo se tornou parte na vida social da população e as cafeterias rapidamente multiplicaram-se e em poucos anos havia centenas destas na cidade, as pessoas visitavam-nas para ouvir músicas, dançar, jogar xadrez e outros jogos, ouvir histórias sobre outros lugares e povos e logicamente beber café!

Já o café foi conhecido pelos europeus somente no século XVII, através de viajantes que visitaram cidades do oriente próximo e muito provavelmente tiveram contato com o café nas cafeterias onde eram negociados diversos produtos e nas ruas onde eram vendidos pelos camelôs. Quando estes viajantes retornavam para casa despertava nas pessoas enorme interesse pelo café, mas eles traziam consigo somente algumas amostras de grãos de café. Porém, foram os venezianos que primeiro trouxeram grandes quantidades de café para a Europa, sendo que no início do século XVII, em 1.615, mercadores venezianos embarcaram na Turquia, aquele que seria o primeiro carregamento de café para a Europa e na mesma Veneza no ano de 1683 foi inaugurada a primeira cafeteria da Europa com o nome de Caffé Florian.

O café ficou conhecido no início do século XVII em Veneza e Marseille, mas lá não comerciavam os grãos de café. Os britânicos apesar de famosos por apreciarem o chá foram a primeira nação a abraçar o comércio de café na Europa. A primeira cafeteria na Inglaterra foi inaugurada em Oxford em 1650 por um turco de nome Jacob e em 1652 foi aberta em Londres a primeira das centenas de cafeterias que viriam logo a seguir.

O Embaixador da Turquia do Império Otomano na corte de Luiz XIV em Paris tornou o café como bebida da moda na alta sociedade parisiense por volta de 1669. Oferecia a bebida a todos que o visitava e consta que persuadiu o jovem rei a beber o café, apesar de sua preferência pelo chocolate quente!

A primeira cafeteria aberta em Paris data de 1686, e o proprietário era Francesco Procópio de Colteli era um siciliano. Com o nome de Lê Procope, é um estabelecimento que até hoje se mantém funcionando!

As cafeterias na Europa logo se tornaram lugares influentes, freqüentados por artistas, intelectuais, mercadores, banqueiros, etc. sendo um fórum para atividades políticas e o desenvolvimento da sociedade. Se não existissem as cafeterias em Paris, provavelmente os revolucionários franceses não teriam conseguido derrubar a monarquia!

Em 1674, as mulheres em Londres promoveram um abaixo assinado contra as cafeterias, queixavam-se que os homens nunca eram encontrados em casa durante as crises domésticas, e sim se divertiam nas "coffee houses".

Um ano após o rei Charles II tentou suspender as atividades das cafeterias alegando serem um foco de revolucionários, mas o descontentamento na população foi tão imenso que a suspensão durou apenas 11 dias.

Johann Sebastian Bach compôs sua "Kafee-Kantate" ou Cantata Café em 1732 (http://www.slideshare.net/marianmus/cantata-del-caf/), em parte um poema ao café e outra uma punhalada no movimento na Alemanha para impedir as mulheres de beber café (acreditava-se que a bebida causava esterilidade), a cantata incluía a ária: "Ah, como é doce seu sabor! Delicioso como milhares de beijos, mais doce que vinho moscatel! Eu preciso de café...”.

O café foi uma febre que atravessou a Europa no século XVIII, porém o consumo de café na Inglaterra começou a declinar devido às altas taxas de importação impostas pelo governo, e as Companhias Inglesas nas Índias e Oriente concentraram-se na importação do chá das colônias Inglesas do oriente. Na Europa as pessoas foram lentamente provando diversas maneiras de servir o café, sendo que em 1822 um francês com o nome de Louis Bernard Rabaut inventou uma máquina que forçava a água quente atravessar o café moído sob pressão, a primeira máquina de café expresso acabava de nascer.

No Brasil o negócio de cafeteria está, normalmente, associado a um outro tipo de negócio, principalmente cultural e hoje existem inúmeras espalhadas pelas principais cidades do País.
Fonte: Sistema Brasileiro de Respostas Técnicas - SBRT